Nasci Carlos Alberto Furtado de Melo, filho de José Francisco de Melo e Tereza Medeiros Furtado, dois açorianos da Ilha de São Miguel, que migraram para o Brasil naquela situação típica portugueses ilhéus: pobres e analfabetos. E com três filhos ainda crianças para criar, aportaram por aqui no mesmo ano em que Getúlio Vargas deu um tiro no peito.

O Brasil e o mundo eram muito diferentes; “sem saber ler uma letra que fosse”, como dizia minha mãe, foram levando o barco e a vida. No ano em que o Brasil se sagrou campeão mundial de futebol pela primeira vez, 1958, nasceu mais um filho. E, em 1965, vim ao mundo eu; sou o quinto.

O resto da história...

Arquivo Mensal do Site

manifesta

As ruas, as casas e as várias crises

Carlos Melo

Uma abordagem sobre as manifestações de 12 de abril.

cunha dilma

O sistema híbrido, a tempestade e seus responsáveis

Carlos Melo

A crise é obra coletiva; a tempestade não é mera virada de tempo; foi gestada nos erros de quase todos nós e gerou uma besta híbrida: o presidencialismo sem poder e o parlamentarismo sem legitimidade.

Unknown

Mercadante: este não é o nome da crise

Carlos Melo

A Aloízio Mercadante tem se atribuído a origem de todos os males do governo. É injusto. O ministro pode estar no olho do furação, mas não é ele o centro da crise .

dilmarousseff

Dilma, a incorrigível

Carlos Melo

Uma abordagem sobre a obstinação errática de Dilma Rousseff.

dilma sarney

Sarneyzação piorada

Carlos Melo

O procurador-geral da República deve oferecer denúncia ao STF contra uma penca de políticos envolvidos com a Operação Lava Jato. O mais provável e óbvio é que o clima se deteriore ainda mais, a caminho de uma espécie de “sarneyzação piorada”.

DM

Dilma, carnaval e cinzas

Carlos Melo

Publicado no meu Blog, Estadão. Uma análise de fim de Carnaval. As cinzas de um governo.

ECunha

Esfinge Devoradora

Carlos Melo

Artigo publicado no Caderno Aliás, Estadão de 08.02.2015 Trata-se de um todo contraditório: o PMDB espelha parte da história da redemocratização do país, mas também do processo de degeneração do […]

dilma-preocupada

Dilma, refém das circunstâncias

Carlos Melo

Artigo publicado no Estadão de 30/11/2014 Por pontos, Dilma Rousseff venceu a eleição; vitória legítima. Mas a realidade que a cerca a torna refém das circunstâncias. Reduzidas são suas condições […]

sarney tancredo

Mão de Gato

Carlos Melo

Com adesivos de Dilma no peito, o ex-presidente foi flagrado — na cabine que deveria ser indevassável — digitando, supostamente, o 45 de Aécio Neves. Humano, demasiadamente humano!

ovo de serpente

Responsabilidade democrática

Carlos Melo

O momento é tenso, a prudência é necessária. Melhor não deixar ovos de serpente se desenvolver. Responsabilidade democrática é o que se espera das pessoas de bem.

Dilma Aécio

Duas versões para mesma crise

Carlos Melo

Na sexta-feira passada, a moçada da Editoria de Nacional, do Estadão, pediu um artigo para hoje, segunda-feira, dia seguinte à eleição. Incapaz de prever o resultado, resolvi, é claro, escrever duas versões: a “Versão Dilma” e a “Versão Aécio”.

marina-aecio

Ainda é cedo – e outras forma de ceder e não ceder

Carlos Melo

Da eleição, seus ensinamentos e suas tentações.

janela

Feicebuqui não é janela

Carlos Melo

As inconveniências e aporrinhações do Facebook. É certo que ninguém é obrigado a entrar. Mas, também é certo que uma vez lá o sujeito tem direito a alguma paz e à opinião. Sei lá… este texto é apenas um exercício de paciência. No mais, ficam palavras novas.

dilma-preocupada

A reação à reação de Dilma e o cenário do dia seguinte

Carlos Melo

O quadro político é complexo e exige buscar detalhes e minúcias. O crescimento de Dilma Rousseff desperta euforia nos aliados e mau humor em adversários. É importante compreender o processo e suas implicações.

marina

A alternativa de Marina

Carlos Melo

O artigo faz parte de um ensaio de mais de 40 mil caracteres que estou preparando. Tenta sintetizar o que entendo ser alternativa para Marina Silva no que diz respeito aos inescapáveis problemas de governabilidade com que se deparará num hoje imaginário e eventual governo.

dilma-lula-aecio-marina-campos

Liderança Palavra Gasta

Carlos Melo

A sorte tem sido madrasta com o Brasil. O destino levou lideranças como Luís Eduardo Magalhães, Marcelo Déda e Eduardo Campos, abatendo-os em plena forma de sua vida para a política. Pessoas com perfis como aqueles fazem falta no vazio que se estabeleceu no país.

Giovanni Eldasi